domingo, 22 de fevereiro de 2009

PÉRGAMO: RESUMO HISTÓRICO

A antiga cidade de Pérgamo (grego Πέργαμος, Pérgamos) situava-se no noroeste da Ásia Menor (atual Turquia), a 30 km da costa do Mar Egeu na região denominada Mísia. As ruínas circundam a atual cidade de Bergama, a qual foi construída sobre os alicerces do que foi a parte baixa de Pérgamo. A lenda diz que a cidade de Pérgamo foi fundada por Pérgamos, filho de Neoptólemo e Andrômaca, todos personagens da Guerra de Tróia. No ano 560 a.C. a cidade pertencia ao rei Creso da Lídia e algum tempo depois caiu sob Ciro II da Pérsia. Algumas fontes afirmam que quando Alexandre, o Grande, derrotou Dario III, rei dos Persas, e dominou toda a Ásia Menor, pôs como governadora de Pérgamo Barsine, que era viúva de um comandante persa de Rodes e tida como amante de Alexandre. Acima, localização de Pérgamo e cidades próximas.
Mas a origem da grande cidade está numa cidadela situada no topo (335m) de um monte da região do vale do rio Caico, onde o rei Lisímaco da Trácia guardava seus tesouros. Acredita-se que ajuntou grandes riquezas nesse lugar deixando-as aos cuidados do governador da região, Filetero. Filetero serviu sob vários generais e sucessores de Alexandre, o Grande, até se tornar independente ( 282 a.C.) e reger a cidade de Pérgamo e adjacências, sem, no entanto, tomar o título de rei. Sem herdeiros, legou o governo a seu sobrinho, Eumenes. Seus sucessores passaram a ser designados pelo nome do pai de Filetero, Átalo, e são conhecidos como os Atálidas. Durante o governo desta dinastia, Pérgamo tornou-se uma rica e poderosa potência na Ásia Menor. Nesta cidade surgiu a arte da jardinagem. Seus reis foram grandes colecionadores de arte e grandes bibliógrafos. Os Atálidas transformaram Pérgamo numa metrópole impressionante cheia de belos templos, um teatro (capacidade para 10.000 pessoas) que é o mais íngreme da Antiguidade, e até uma escola da medicina fundada antes do quarto século a.C., o Asclepeion, que sobreviveu por séculos e continuou atraindo todos os tipos de viajantes e pacientes do mundo conhecido. Abaixo, reconstrução gráfica da cidade de Pérgamo:
1) Cidade traçada segundo uma quadrícula regular. 2) Pórticos. 3) Templo de Dionísio. 4) Teatro.
5) Altar de Zeus. 6) Templo de Atena. 7)Biblioteca. 8)Arsenais 9) Palácio real.


No reinado de Átalo I Sóter (247 – 197 a.C.) Pérgamo destacou-se como um grande centro literário e artístico e sua biblioteca se tornou a maior do mundo conhecido depois da biblioteca de Alexandria no Egito. Os Pergamenos foram ativos no comércio também. Eles prosperaram na agricultura e nas minas de prata; a sua indústria de tecido floresceu. Quando houve uma crise de papiro no Egito, os Pergamenos desenvolveram um novo suporte para a escrita a partir da pele trabalhada de bezerros: a charta Pergamena, isto é, o pergaminho. Eles colheream os benefícios do seu êxito e construíram a sua reputação contribuindo para a causa helênica, dedicando vários templos em Atenas na Grécia. Além da sua própria cidade, os Atálidas governaram sobre uma porção vasta do oeste da Ásia Menor aliando-se a Rodes e a Roma. Abaixo, o reino de Pérgamo no século III a.C.

No entanto, sua magnífica existência não foi pacífica tendo que se defrontar com as ambições expansionistas dos Selêucidas (dinastia macedônica que governava a Síria) e dos reis da Bitínia e as incursões dos gálatas (gauleses que se instalaram na Anatólia). Por fim, Pérgamo teve que se aliar ao poder romano tendo se convertido em província quando o rei Átalo III legou por testamento seu reino a República de Roma em 133 a.C. Apesar das tentativas de Eumenes III Aristônico de recuperar a independência, Pérgamo tornou-se uma das mais importantes cidades do mundo romano sendo a capital da província romana da Ásia. No mapa abaixo, o mundo médio oriental em 90 a.C. O reino de Pérgamo não mais existe e é então a província romana da Ásia. No entanto a dominação deu também seus prejuízos: segundo a lenda, Marco Antônio deu de presente de casamento a Cleópatra os 200.000 livros da biblioteca de Pérgamo.
 Pérgamo era um dos centros de culto ao Imperador romano. O primeiro, e por um tempo considerável, o único, templo provincial do culto imperial na Ásia foi construído em Pérgamo em honra a Roma e Augusto (provavelmente em 29 a.C). Um segundo templo foi construído ali em honra a Trajano e um terceiro em honra a Severo. Assim, Pérgamo, foi a primeira cidade a ser a guardiã do templo da religião do Estado. Mas o cristianismo estabeleceu-se aí desafiando o paganismo reinante. A igreja de Pérgamo é uma das sete igrejas da Ásia mencionadas no livro do Apocalipse (2:12), e dela se destaca um mártir, Antipas, considerado o primeiro bispo da cidade. O Apocalipse também afirma que em Pérgamo estava o "trono de Satanás" possivelmente uma alusão ao ao culto imperial ou ao grande altar de Zeus (hoje no Museu de Pérgamo em Berlim, imagem abaixo).


Do Império Romano, Pérgamo passou a seu desmembramento e sucessor no Oriente, o Império Bizantino. Desse, passou ao Império Otomano (turco) sendo quartel tradicional das dinastias otomanas. O sultão otomano Murad III transportou duas grandes urnas de alabastro das ruínas de Pérgamo para igreja de Hagia Sophia então transformada em mesquita em Istambul. No 11º século, a cidade tornou-se uma fortaleza na fronteira entre o Sultanado Seljúcida de Rum e o Império Bizantino. Depois da Quarta Cruzada, em 1212 a cidade passou, em um curto período às mãos do segundo imperador latino de Constantinopla, Henri de Hainaut. No início do 14º século, o seljúcida Karasıoğullari tomou o controle de Pérgamo que finalmente passou ao possessão dos turcos otomanos durante o reino de Orhan I. Depois disso a cidade na acrópole foi abandonada e caiu na decadência, enquanto a nova cidade de Bergama cresceu no pé da colina.
A cidade de Bergama está envolta de controvérsias em torno de águas minerais de Allianoi, ameaçadas pela construção da Represa Yortanli, e quanto a mina de ouro meu na aldeia Ovacık.
Abaixo, a moderna cidade de Bérgama vista das ruínas de Pérgamo. Em primeiro plano tem se o antigo teatro de Pérgamo.


Para saber mais:
http://www.pbase.com/dosseman/bergama_turkey
http://pagesperso-orange.fr/istanbul/circuit_turquie_voyage_culturel_asie_mineure/PERGAME/index.html
.

FONTE:
Wikipédia, versão em inglês e espanhol.
Pergamum por Rosa Valderrama. Disponível em http://www.usd.edu/~clehmann/pir/asiamysi.htm

Carta à Igreja de Pérgamo. Em: http://www.ebdareiabranca.com/EICristo/EICristoLicao09Ajuda1.htm

Kalipédia. Em: http://www.kalipedia.com/graficos/reconstruccion-ciudad-helenistica-pergamo.html?x=20070717klphisuni_24.Ees

6 comentários:

  1. gostei muito do qui lie, nesta página! bom trabalho informações muito importante neste blog...

    ResponderExcluir
  2. resumo bastante proveitoso, obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Fico feliz por ter contribuído. Que Deus a abençoe ricamente.

      Excluir